A ARTE DE “DEIXAR IR”

E A MÚSICA DO POST DE HOJE É:

Shake It Out – Florence and The Machine

Eu pensei muito esses dias sobre qual seria o melhor tema para essa semana. E estou em uma fase específica da minha vida, que tive de aprender a deixar muita coisa “ir embora”. Então, resolvi escrever sobre o sentimento de “desapego” seja ele material ou espiritual.

Eu passei por um episódio traumático em casa. Uma pessoa de convivência próxima, relativamente de confiança, entrou na minha casa e levou embora muitos pertences materiais meus e da minha mãe. Moramos apenas nós duas. Como se não bastasse o prejuízo em valores, o que mais me deixou em pânico, foi o fato de que sequer imaginávamos quem tivesse feito isso.  Ou seja, duas mulheres morando em casa sozinhas, sem se sentir seguras. E o pior: Eu me deparei com toda a minha intimidade revirada. Meu quarto, minhas roupas íntimas. Foi devastador para mim.

Então, pensa: Você chega na sua própria casa, seu porto seguro, onde você se sente “protegido” (embora que, no Brasil atualmente, essa palavra chega até ser utópica), já que nem ao sair ou chegar no portão de casa, nos sentimos exatamente assim. Mas nunca passa pela nossa cabeça, que uma coisa dessas pode acontecer com a gente. Até que acontece.

Aquela merda de sensação de perda, por tudo o que você batalhou, que você deu o suor pra conquistar, passou dias e noites estudando, se esforçando, enfrentando uma selva no trabalho e aí, de repente, alguém vem e toma tudo de você.  Até hoje, quando vou revirando as coisas, vou dando por falta de um ou outro objeto que levaram, e eu nem tinha percebido no dia que aconteceu…

Já fazia muito tempo que eu não tinha mais crises de pânico. Desde que saí de um trabalho do qual eu não amava realmente o que eu fazia, desenvolvi uma crise de ansiedade e um estresse absurdo. Quando eu me vi tomando um monte de remédio controlado, eu saí imediatamente, e fui fazer o que eu realmente amava. Como meio que “passou” isso de ruim, eu achei que tinha “resolvido” isso dentro de mim.

Era o que eu achava.

Até passar por essa situação.

Como se não bastasse, eu fiz uma cirurgia de emergência nesse ano, fiquei internada e depois 15 dias de molho em casa. Depois, acabei saindo do trabalho que eu estava “confortável” financeiramente, mas entrando em colapso convivendo em um ambiente tóxico, com uma pessoa em específico, que estava trazendo uma energia péssima no meu dia a dia.

Entrei em colapso.

Foi então, que eu resolvi arriscar novamente, e entrar em uma nova jornada da minha vida. Ir para um novo ambiente de trabalho, mesmo que mais longe da minha casa, pelo menos com a possibilidade de home-office. Assim, eu teria tempo para me dedicar em outras questões da minha vida, que até então, eu havia deixado totalmente de lado. Como por exemplo, escrever aqui no Blog.

E sabe de uma coisa? Todas as vezes em que eu saí da minha zona de conforto, e “dei as caras”, eu me redescobri como mulher e principalmente, descobri outros universos que eu nem achava que seria capaz de enfrentar. Bem que dizem, que são nas piores crises que nós evoluímos. Na verdade, um gênio aí fodão disse isso uma vez:

quem-supera-a-crise-supera-a-si-mesmo Albert-Einstein-500x361

Pra vocês terem uma ideia, eu dei tanto azar, que na mesma semana que esse amontoado de coisas ruins estavam acontecendo, eu perdi um pendrive que havia acabado de comprar (pois o outro também foi levado) sendo que eu tinha acabaaaaado de passar vários arquivos, documentos e fotos. No mesmo dia em que fiz isso, o perdi. Não deu nem tempo de passar os arquivos para um back-up.

Todas aquelas memórias e arquivos importantes se foram.

E já parou pra pensar que tudo na vida pode sumir assim, como em um passe de mágica? Alguém que você ama muito, por exemplo, pode morrer do nada. E aí?

Fiquei possessa de raiva na hora. Vontade de jogar tudo pro alto e desistir de uma vez por todas, de continuar sendo forte perante as adversidades. Dar uma de “louca” e ficar em casa chorando em posição fetal… rs. Sabe quando você pensa assim: -TÁ, CHEGA VIDA! Já entendi que nem era pra ter levantado da cama hoje…

Mas foi aí, que eu pensei comigo mesma em ter outro ponto de vista. Levar a sério as próprias palavras que escrevo aqui, e os conselhos que dou para meus amigos: Eu posso encarar toda essa merda que eu enfrentei esse ano como uma perseguição, macumba, qualquer coisa negativa que eu estava sendo atingida, ou então, enxergar que são apenas problemas da vida mesmo.

É deixar de lado a síndrome de “Maria do Bairro” e CRESCER. Entender que seus dramas não são melhores ou piores que de ninguém. As vezes, pode até ser realmente muito pior. Mas ficar se “vitimizando,” não vai te arrancar do buraco em que você está. Seja lá como for, existe uma saída. Não é dos problemas que queremos fugir muitas vezes. É da DOR. Eu sei. Afinal de contas, toda dor que passamos, instintivamente já queremos amenizar, como aquele mertiolatte quando crianças. Mas sofrer faz parte do processo de VOAR.

deixar-1024x572

Lembra quando você aprendeu a andar de bicicleta? Os tombos foram te deixando mais esperto, e mais habilidoso nos próximos obstáculos. Aceitar que você vai ter que cair algumas vezes, faz parte.  Quando aceitamos a nossa atual realidade, e encaramos as perdas e sofrimentos diários, vamos adquirindo maturidade e força pra enfrentar os próximos problemas.

Eu poderia ficar me lamentando por perder todos os meus arquivos, ou encarar isso como uma chance de reconstruir tudo outra vez. Apesar das fotos que se perderam, o que valeu mesmo, foram todos os momentos vividos, e os sentimentos que eu, somente EU consegui experimentar. Nem mesmo as fotos podem registrar. Ficam todos registrados apenas nas nossas memórias e nossos corações. Um cheiro, um vento, uma risada, um abraço… Isso nenhuma fotografia consegue efetivamente guardar.

Eu também poderia desejar o mal para aquela pessoa que invadiu o meu porto seguro e roubou a minha paz. Minhas noites de sono nunca mais foram as mesmas. Mas eu me dei conta, de que essa pessoa é tão vazia de si, que talvez precisasse mais daquelas coisas do que eu. Enquanto eu tiver ar em meus pulmões, uma família e amigos que me amem, inteligência e força pra seguir, saúde e principalmente a minha fé que me move, eu posso recuperar tudo de volta e ainda conquistar muito mais! Já que as perdas sempre nos fortalecem.

DEIXA IR.

DEIXA IR TUDO AQUILO QUE VOCÊ PERDEU.

A arte de deixa ir, consiste em você abrir mão, literalmente dos apegos que temos na vida. Se algo já não nos faz bem, nos sufoca, como um trabalho que não lhe dá paixão, ou uma pessoa tóxica do seu cotidiano: DEIXA IR. Se você se sente sem esperança porque sente muita falta de algo que se foi:  DEIXA IR.

Deixa que o vento que levou, retorne transformado, e te traga tudo novo. De novo!

Deixar ir, é um ato de AMOR com o seu próprio coração!

reter-aquilo-que-devemos-deixar-ir

Deixa o vento soprar, deixa o ar renovar seus ambientes. Abra a janela do seu quarto e deixa o sol entrar! Deixa o novo surgir na sua vida com outras possibilidades. Novos sonhos. Novas pessoas.

Deixa as pessoas que não querem ficar, irem embora. Deixe que sigam. Deixe que sintam que precisam voltar. Se assim quiserem.  Sem amarras, deixe a vida LEVE. Sem pesos. Nem medidas.

Encare a sua atual realidade. Ser adulto também quer dizer que as vezes, você vai ter que encarar os seus monstros e ninguém vai poder fazer isso por você, senão você mesmo. É parar de olhar no retrovisor o que já passou e olhar para a frente! É deixar pra trás tudo aquilo que te atrasa, que te impede de evoluir ou até mesmo de mudar.

Saia da sua zona de conforto e busque seu autoconhecimento. Teste os seus limites! Não sabemos até onde nós podemos chegar. E nunca vamos saber, se não deixarmos o que tem que ir, seguir. Se algo não está mais te fazendo bem, pior não vai te fazer quando deixar ir embora. Concorda?

DESAPEGA.

LIBERTE-SE.

Não deixe o medo ou a insegurança, impedir você de se conhecer sendo realmente feliz, de inúmeras e inimagináveis formas.

SIMPLESMENTE, DEIXA IR!

seja-forte-o-suficinete-400x300

Toda vez que damos um passo para frente, algo fica inevitavelmente para trás. Lembra quando a gente era criança, e ia em alguma loja de doces e sua mãe dizia: VOCÊ SÓ PODE ESCOLHER UM. É assim que vamos construindo nossos valores de que NÃO: não dá para ter TUDO na vida. Uma escolha, uma renúncia. É nessa ordem.

Então, deixa ir o que tiver que ir pois tudo acontece por uma razão. Talvez hoje você não entenda, mas com uma experiência maior, lá na frente, você vai ter uma percepção totalmente diferente.

Se for para dar certo QUE BOM, se não deu: VIROU LIÇÃO. DEIXA IR!

E assim, a garota continua na busca, do seu feliz pra sempre!

assinatura-autora-do-blog

 

 

 

Anúncios

Aniversário do namorado, surpresas e Fondue!

Ooooooi pessoal! Tudo bem com vocês?

Ontem, dia 10/08, foi aniversário do meu namorado. Eu resolvi preparar várias surpresinhas pra ele!

Primeiro, nos encontramos próximo aonde ele trabalha. Eu comprei o perfume Malbec Duo – O Boticário e particularmente, achei uma delícia! Ele também adorou (uffa, ainda bem hahaha) Tem uma fragrância amadeirada muito gostosa.

 

Como ele começou em um emprego novo, e é viciado em um cafézim como eu, comprei uma xícara do Santos, time do coração dele! Tinha uma frase escrita: “Para uso de um Santista exclusivo!”

Depois, fomos jantar em um restaurante, que eu já havia reservado e comprado o jantar de presente também! Fomos no Bistro Faria Lima.

Ficamos sentados na varada, de frente para a Av. Faria Lima. O lugar é maravilhoso, super aconchegante, com música ambiente gostosa e fomos bem servidos! Experimentamos também, um vinho chileno recomendado pela casa.

foto foundue

 

Nunca havíamos experimentado Fondue! Pra quem não sabe, é um prato de origem suíça, originalmente à base de queijo aquecido sobre uma lamparina, também conhecida como espiriteira ou rechaud, ou outra fonte de calor pouco intenso, do qual as pessoas se servem diretamente. De sobremesa, comemos Foundue de chocolate, acompanhado de frutas, suspiros, marshmallow e biscoitinhos gostosos. GENTE DO CÉU, É MUITOOOOO BOM! E é óbvio que vamos repetir muitas vezes!!!! rs

As surpresas não pararam por aí! 😉

Semanas atrás, eu gravei um vídeo com meu primo Ygor. Eu escrevi uma música e pedi pra ele me ajudar com o violão. E no dia do aniversário dele, eu mostrei pra ele *-*

Ele gostou muito! Ficou emocionado e tudo mais. Postei hoje no meu canal do Youtube! ❤

Então é isso pessoal. Fiquem com Deus e não se esqueçam de se inscrever no meu Canal!

era uma vez uma garota

Agora com a agenda do Blog definida, pretendo deixar tudo mais atualizado pra vocês tá?

E assim, a garota continua na busca, do seu feliz pra sempre!